lmsuplementosestetica@gmail.com
962 876 711 / 926 669 319

Titulo

conteudo
20
Jul

Índice de massa corporal, uma ferramenta útil para manter um peso saudável

O IMC é uma medida do peso da pessoa comparado com a sua altura, o que pode indicar uma série de problemas de saúde. Continua a ler para saberes mais.

O IMC (índice de massa corporal) é uma forma de controle de um peso saudável de uma pessoa. Através do IMC é possível identificar uma grande quantidade de possíveis riscos para a saúde, presentes e futuros.

O IMC é uma medida internacional usada para calcular se uma pessoa está no peso ideal. Desenvolvido pelo polímata Lambert Quételet no fim do século XIX, trata-se de um método fácil e rápido para a avaliação do nível de gordura de cada pessoa, sendo, por isso, um preditor internacional de obesidade adotado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ao longo deste artigo vamos definir ao pormenor o que é o IMC, como o calcular e como o utilizar para manter o seu peso dentro do designado de saudável.

TUDO O QUE NECESSITAS SABER SOBRE O IMC

A definição mais básica de excesso de peso e obesidade é ter muita gordura corporal numa quantidade que represente um risco para a saúde. Uma forma confiável de determinar se uma pessoa demasiada gordura corporal é calcular a relação entre o seu peso e altura ao quadrado. Essa proporção, chamada de índice de massa corporal (IMC), é responsável pelo facto de que pessoas mais altas têm mais tecido do que pessoas mais baixas e, portanto, tendem a pesar mais.

Podemos calcular o IMC por conta própria ou usar uma calculadora online como esta.

O IMC não é uma medida perfeita, pois não avalia diretamente a gordura corporal. Tanto os músculos como o osso são mais densos do que gordura, então um atleta ou pessoa musculada pode ter um IMC alto, mas não ter muita gordura. Mas, a maioria das pessoas não são atletas e, para a maioria delas, o IMC é um indicador muito bom do nível de gordura corporal, sendo uma forma fácil para os médicos rastrearem quem possa estar em maior risco de problemas de saúde devido ao peso.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que, para adultos, a faixa saudável para o IMC está entre 18,5 e 24,9.

O excesso de peso é definido como um índice de massa corporal de 25 a 29,9, enquanto a obesidade é definida como um índice de massa corporal de 30 ou mais. Atualmente em todo o mundo, cerca de 1,5 bilhão de adultos com mais de 20 anos, cerca de 34 por cento da população adulta, está com sobrepeso ou é obeso, e o número tende a aumentar.

O risco de desenvolver problemas de saúde, incluindo várias doenças crónicas, como doenças cardíacas e diabetes, aumenta progressivamente em IMC acima de 21, bem como o risco de morrer prematuramente. (8, 9) Também há evidências de que, para um determinado IMC, o risco de doença é maior em alguns grupos étnicos do que em outros.

O ganho de peso na idade adulta aumenta o risco de doenças, e normalmente, em adultos, o ganho de peso geralmente significa mais gordura corporal e não mais músculos. O ganho de peso na idade adulta aumenta o risco de doenças, mesmo para pessoas cujo IMC permanece na faixa normal.

É normal que as crianças tenham quantidades diferentes de gordura corporal em idades diferentes, e que meninas e meninos tenham quantidades diferentes de gordura corporal, portanto em crianças e adolescentes, a faixa saudável para o IMC varia de acordo com a idade e o sexo.

Nos EUA, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) desenvolveram gráficos de crescimento padrão para meninos e meninas de 2 a 20 anos que mostram a distribuição dos valores de IMC em cada idade. Pela definição do CDC, uma criança cujo IMC está entre o percentil 85 e 94 para idade e sexo é considerada com sobrepeso. Uma criança cujo IMC está no percentil 95 ou mais para a idade é considerada obesa.

Em 2006, a OMS desenvolveu padrões internacionais de crescimento para crianças do nascimento aos 5 anos de idade, usando bebês saudáveis ​​amamentados como norma, e em 2007, estendeu esses padrões para desenvolver gráficos de crescimento para crianças de 5 a 19 anos.

LIMITAÇÕES DO IMC

O IMC, que como vimos é baseado na altura e peso de uma pessoa, é uma medida imprecisa do conteúdo de gordura corporal e não leva em consideração a massa muscular, densidade óssea, composição corporal geral e diferenças raciais e sexuais.

Simplesmente temos peso normal se o IMC estiver entre 18,5 e 25, e excesso de peso se estiver entre 25 e 30. Qualquer pessoa com IMC de 30 ou mais é obesa.

Pessoas com um IMC de 30 ou mais, ou seja, indivíduos obesos, têm um risco significativamente maior de eventualmente se tornarem diabéticos, desenvolver cancro, doenças cardiovasculares, osteoartrite e doenças do fígado e da vesícula biliar, para além do facto comprovado que ser obeso aumenta o risco de morte prematura.

No entanto, alguns estudos demonstraram que alguns indivíduos obesos têm menor risco cardiovascular e um perfil metabólico melhorado, enquanto um subconjunto de pessoas com “IMC normal” não são metabolicamente saudáveis ​​e têm risco de mortalidade aumentado.

O IMC pode levar a confusão e desinformação, pois muitos especialistas acreditam que o termo IMC altura2 / peso divide o peso demasiado em pessoas baixas e muito pouco em pessoas altas, o que resulta em pessoas altas pensarem que são mais gordas do que realmente são e pessoas baixas pensando que são mais magras que na realidade.

Quando Quetelet criou o IMC não havia calculadoras, computadores ou dispositivos eletrônicos e, talvez por isso, ele optou por um sistema simples, que por uma questão de simplicidade, comodidade e por funcionar o quanto baste no geral, continua a ser utlizado abundantemente pelos profissionais de saúde, talvez também por não quererem ir contra uma “regra” estabelecida há tanto tempo e considerada correta por diversas organizações de saúde a nível mundial.

Considera-se que a relação cintura/altura é um indicador de excesso de gordura corporal superior ao IMC, e como tal deveria ser usado como regra base nas ferramentas de triagem como indicador de potenciais problemas relacionados com diabetes e/ou doenças cardiovasculares

O ideal a nível de saúde será manter a circunferência da cintura abaixo de metade da altura, ou seja, no caso de um homem de 1,80 m, o máximo que deveria medir a sua cintura seria 90 cm, e uma mulher de 1,60 m não deveria exceder os 80 cm.

Assim, um homem com 1,80 m de altura deve ter uma circunferência da cintura de 36 polegadas ou menos, enquanto uma mulher com 1,52 m de altura não deve exceder 32 polegadas.

O IMC falha em levar em consideração a distribuição de gordura pelo corpo. A gordura abdominal afeta órgãos como o rim, o fígado e o coração de forma mais severa do que a gordura na parte inferior ou nos quadris. A circunferência da cintura dá uma indicação mais acertada dos níveis de gordura abdominal.

 

OS BENEFÍCIOS DE MANTER UM PESO SAUDÁVEL

Manter um peso saudável oferece benefícios bem para alem da componente estética, pois o seu valor maior é prevenir problemas de saúde. Excesso de peso, especialmente excesso de peso derivado de aumento de gordura corporal é o primeiro passo para diversos problemas de saúde relacionados com diabetes, problemas cardiovasculares, problemas de circulação, tensão alta, perca de mobilidade, problemas em ossos e articulações, para nomear uns quantos.

Por outro lado, demasiado peso a menos também acarreta alguns problemas como potencial anemia, fraqueza física, fraqueza articular, queda de cabelo, deterioração da pele, problemas de crescimento, diminuição da imunidade, entre outros.

Dito isto, uma vez que há prejuízo para o individuo tanto com o excesso de peso como no peso a menos, o ideal será manter um peso médio adequado ao porte físico do individuo.

As principais dicas que podemos dar para manter um peso saudável são:

  • Praticar exercício com frequência, pelo menos 3 vezes por semana;
  • Comer todos os dias um pequeno almoço nutritivo, equilibrado a nível de macronutrientes;
  • Beber água suficiente para manter o corpo hidratado;
  • Comer comida de verdade e evitar alimentos processados;
  • Comer adequadamente e de forma responsável para evitar excessos ou lacunas alimentares;
  • Planear as refeições com antecedência para não perdermos nenhuma refeição;
  • Manter uma atitude positiva;
  • Fazer pequenas mudanças pois as grandes alterações geralmente correm mal;
  • A nível alimentar esquecer o sempre e o nunca, mantendo um certo grau de flexibilidade para aumentar o grau de aderência à dieta;
  • Consultar um Nutricionista certificado para ajudar a desenhar o plano alimentar;
  • Manter os hábitos alimentares saudáveis para o resto da vida pois os benefícios serão enormes.

Hoje o assunto foi o Índice de Massa Corporal (IMC), da sua utilidade e das suas limitações, e da forma como pode ser usado para prever problemas de saúde, bem como alternativas mais adequadas para controlar os níveis excessivos de gordura corporal. Falámos também da importância de manter um peso adequado e expusemos os principais problemas que podem derivar de ter demasiado peso a mais ou demasiado peso a menos, e concluímos com estratégias importantes para manter o peso ideal mais facilmente.

Uma última estratégia é utilizares a diversificada gama de produtos da BiotechUsa para te ajudar a manter saudável e dentro do teu peso ideal, bem como te facilitar nas refeições e algumas sobremesas que passam de proibidas a aceites quando usas os suplementos de excelente sabor que temos à tua disposição.

Para finalizar, convidamos-te a visitar a nossa página web destinada à vertente Estilo de Vida onde podes encontrar diversos tipos de ajuda para atingir os teus objetivos.